sábado, janeiro 10, 2015

WHIPLASH

SANGUE & LÁGRIMAS


O que se poderia esperar de um filme onde o diretor foi responsável pelo roteiro de "O Último Exorcismo- Parte 2"?
Simplesmente um dos melhores filmes da temporada de premiações de 2015.
Sim, não liguem muito para o passado de Damien Chazelle pois nesse "Whisplash" ele consegue o feito de fazer com que seu filme pulse de energia e vitalidade.
Andrew (Miles Teller, o garoto já tinha feito muita bobagem do nível de "Finalmente 18") é um diamante a ser lapidado. Dentro de uma das escolas mais prestigiadas de música, Andrew tem a chance de mostrar o seu talento como baterista na banda de um dos professores mais severos e assustadores: Terrence Fletcher (J.K. Simmons, incrível!)

O problema é que o método de Fletcher é de dar medo devido ao tratamento muitas vezes violento e intimidador. Na teoria dele, a busca pela perfeição é justificada pela maneira cruel em que ele trata seus alunos.
Andrew quer ser o melhor dentre todos e tenta não se amedrontar diante da pressão psicológica colossal que é submetido.
Guardada as devidas proporções, muitas vezes eu fiz um paralelo com "Cisne Negro", trabalho super estimado de Darren Aronofsky, pela similaridade do tema da obsessão em ser perfeito a qualquer custo.
"Whiplash" no entanto se destaca por justamente não florear muito e extrai até o limite da situação. 
Em inúmeras vezes, nós a platéia, somos submetidos a mesma pressão a qual Andrew sofre e a plena sensação de esgotamento é passada direta para quem esta assistindo.
Graças também ao trabalho estupendo de Simmons e Miles Teller.
J.K., aliás, esta em plena forma, de botar medo em qualquer um e ainda consegue fazer com que de algum jeito nos simpatizamos com o casca-grossa. 
Mereceria todos os prêmios por aí disponíveis de atuação.
NOTA      9,5
Compartilhar:

0 comentários:

Blogs Brasil

Postagens populares

Total de visualizações

Google+ Badge

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog

Seguidores