quarta-feira, junho 12, 2013

V/H/S 2

W/T/F?

É extremamente prazeroso quando um filme, a qual você não dava um centavo, te surpreende de uma forma que te deixa desnorteado.
E "V/H/S 2"  é um daqueles raros casos que, fora te surpreender positivamente diante dos resultados, é uma continuação.
Ora, quantas sequencias consegue se sobrepor totalmente ao material original? 
São poucas produções que me vem a cabeça, e em se tratando de filmes de terror, o negócio fica mais difícil ainda.
O primeiro "V/H/S" foi vendido como o "found footage" definitivo.
E realmente a idéia era muito boa, mas dava para notar que não era um produto livre de falhas.
Devido a inconsistência de algumas histórias, afetava diretamente no julgamento do filme como um todo. 
Mas parece que os produtores leram com atenção todas as criticas negativas que o primeiro obteve e colocaram em prática nesse aqui.
Dessa vez são 4 contos (mais a principal que interliga as histórias), chamaram gente de responsa para dirigir, e não economizaram na bizarrice e no sangue jorrado.

Foi uma sábia decisão reduzir para quatro o número de segmentos, pois deixou espaço de sobra para o desenvolvimento de cada curta-metragem. Até a espinha dorsal da trama tem seus méritos e é interessante.
A trama começa com dois investigadores que são contratados para descobrir o paradeiro de um estudante.
Ao descobrir sua residência, decidem arromba-la e investigar seus cômodos. 
Eis que surgem novamente as temíveis pilhas de fitas cassetes:

Fase 1: Testes Clínicos- O conteúdo da primeira fita é dirigido por Adam Wingard (que já dirigiu um dos segmentos de "ABC da Morte", outra antologia recente) e acompanha os resultados desastrosos de uma cirurgia no olho de um sujeito. O problema é que ele passa a ver fantasmas em tudo quanto é recinto de sua casa.

Um Passeio no Parque- Eduardo Sanchez (A Bruxa de Blair) comanda de uma maneira genial a chegada do apocalipse zumbi durante um passeio bucólico num parque. Imaginem que o plano de primeira pessoa não esta no sobrevivente , e sim no morto-vivo! Demais!

Lugar Seguro- Com certeza é o mais apavorante dentre todas as fitas. É o que tem maior duração, portanto dá pra criar um clima vagaroso até chegar ao inferno absoluto e doentio. Acompanhamos um equipe de reportagem que convence um líder de uma seita a gravar dentro de seu santuário. Uma vez lá dentro, será difícil sair vivo. Dirigido por Gareth Evans (Operação:Invasão) e Timo Tjahjanto (do segmento sensacional "L de Libido" do "ABC da Morte"), a trama é uma verdadeira montanha-russa do horror. 

Festa do Pijama- A Abdução- Um bando de garotos aproveitam a saída dos pais e fazem uma festinha com amigos em sua casa à beira do lago. Só não contavam com uma invasão alienigena acontecendo justamente naquela noite. Jason Eisener (também vindo de "ABC da Morte") consegue transmitir medo e aflição absoluta quando os aliens aparecem repentinamente, e o inusitado é que a  câmera fica acoplada na cabeça do cachorrinho de estimação da criançada.

"V/H/S 2" é portanto superior ao primeiro por, principalmente, não tratar com desdem nenhum segmento.
Até a narrativa principal dá mais dicas sobre o poder maléfico das fitas, coisa que ficou bastante confuso no original.
Já dá para vislumbrar com um sorriso no rosto o que esta por vir com a evolução da série...
Que venha o terceiro!

Compartilhar:

0 comentários:

Blogs Brasil

Postagens populares

Total de visualizações

Google+ Badge

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog

Seguidores